Toggle

Um novo ano se aproxima e começamos a ponderar o que realizamos e o que ficou apenas no papel. Veja dicas para ajudar você a alcançar o sucesso que anseia. 

Um novo ano se aproxima e, com o fim de um período, somos acometidos por pensamentos diversos acerca do que realizamos, das oportunidades que escaparam e dos desejos para o ano seguinte. Ponderar sobre esses aspectos é importante pois ao ter claro em quais pontos fomos bem-sucedidos, em quais cometemos erros e quais sequer foram abordados obtemos uma espécie de relatório pessoal, o qual é muito importante para analisar o que vem sendo feito, o que deve ser melhorado e as novas atividades a serem empreendidas para alcançar os propósitos estipulados.

O sucesso é geralmente uma resolução comum a todos, independentemente do âmbito no qual se deseja se aperfeiçoar, mas e quanto a você? O que é o sucesso para você?

Busque se conhecer melhor e prepare-se para o ano novo!

Estar seguro do caminho escolhido para seguir a carreira profissional nos propicia mais firmeza em nossas ações, maior motivação e determinação. Por isso, reveja sua trajetória, analise o momento que vive, suas preferências pessoais, busque o autoconhecimento pois esse é muito importante para traçar metas que condizem com sua especificidade, com seu jeito. Após elencar suas prioridades, atente-se às 5 dicas a seguir e dê início a um ano novo
e repleto de conquistas.

Crie, recicle e reveja suas metas – novas metas surgirão, algumas permanecerão e as antigas não realizadas o atormentarão, por isso o autoconhecimento é essencial: se conhecer o bastante para ser capaz de distinguir metas realmente importantes daquelas que não representam um crescimento real.

Concentre-se em um objetivo – se você criar uma lista de objetivos extensa não poderá dedicar o tempo necessário aos que são realmente importantes. Eleja um objetivo principal e os outros, se existirem, devem ser simples e facilmente alcançáveis.

Planeje – planejar é o segredo do sucesso. Através de um planejamento adequado a realidade, com metas atingíveis e prazos concretos, é possível definir aonde se quer chegar e o que é preciso para isso.

Reveja seus hábitos – nosso cotidiano é formado pelos mais diversos hábitos. Análise os seus e trabalhe para abandonar aqueles que causem atraso ou distração, levando a perda do foco e da determinação. Busque incorporar hábitos que propiciem o sucesso, saudáveis para seu corpo e mente, que somem à sua produtividade, e que não atrapalhem ou tomem seu precioso tempo.

Mantenha-se focado e determinado – as coisas só acontecerão se você executar as ações relacionadas em seu planejamento. Não desanime, pois se trata de um projeto que deve ser realizado por você e os benefícios serão seus.

O ano novo é o momento de rever, de repensar e de considerar as possibilidades de futuro. Mantenha o foco e a determinação, continue se esforçando para atingir os propósitos que estipulou, acredite e, assim, obterá um ano de crescimento e prosperidade.

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog

Quem trabalha em setores mais globais - como indústria automotiva, por exemplo - já sente transformações nos cenários macroeconômico, social, tecnológico e de negócios.

Outros setores, mais regionalizados, talvez levem mais tempo para perceber algumas tendências, como é o caso da indústria de alimentos.

Mas, é certo, segundo o presidente da BMI, Daniel Motta, que, em algum momento nos próximos 5 anos, será preciso levar em conta as mudanças em curso antes de desenhar a estratégia de negócios de uma empresa. E isso em qualquer setor da economia.

"De forma geral, são tendências de influência nas empresas do ponto de vista econômico, social e tecnológico", diz Motta. Por isso, é bom que executivos em cargos de liderança se preparem para as transformações globais descritas a seguir, se a intenção é continuar trazendo resultados. Confira:

1. Transição da ética social

Se a conduta de ordem antigamente era cumprir deveres impostos, hoje a satisfação individual vem em primeiro lugar. E é o que molda escolhas profissionais. A transição é de uma ética ancorada no dever para a ética com foco no prazer, na satisfação.

As pessoas querem trabalhar em empresas que compartilhem seus valores e proporcionem atividades que façam sentido para elas.

Na prática, as organizações são postas em xeque quanto à sua capacidade de reter profissionais. "Missão e visão estratégicas não são mais suficientes. As empresas precisam ter um propósito inspirador que acesse a dimensão emocional de colaboradores e clientes", explica.

2. Novas configurações familiares

O modelo de família tradicional - com pai, mãe e filhos - dá espaço a novos formatos: casais homossexuais, casais sem filhos, casais em que o bicho de estimação é como um "filho", idosos, solteiros morando sozinhos ou com os pais etc.

Essa mudança tem impacto visível na economia, segundo Motta, sobretudo em mercados como o imobiliário, automotivo, de alimentos e serviços.

"Antes as empresas classificavam seus consumidores por fatores sociais como renda, faixa etária e estado civil. Hoje, a vanguarda é segmentar mercados por comportamento de consumo", diz o especialista.

3. Urbanização descentralizada

"Um terço do crescimento mundial até 2020 será nas cidades médias de países emergentes", diz Daniel Motta. Com isso, novos espaços de trabalho surgem para profissionais. Do ponto de vista das empresas, o desafio é a capilaridade da cadeia de produção.

"Estamos falando de municípios com até 250 mil habitantes, o que, de muitas vezes, inviabilizava uma estratégia eficiente de varejo", diz Motta.

Cidades médias pedem estratégias adequadas ao seu tamanho. Um exemplo de erro de estratégia é visível no setor de shoppings, segundo Motta. "Empresas construíram shoppings enormes em cidades menores", diz. Resultado: espaço para locação vazio e prejuízo à vista.

4. Big Data

A capacidade de trabalhar com grande volume de dados externos variados e que chegam em grande velocidade já é uma realidade tecnológica. "As grandes empresas já estão usando", diz Motta.

O Big Data, explica, é fundamental para quem quer apresentar serviços e produtos adequados à necessidade do consumidor.

5. Arena competitiva digital

Em tempos de convergência tecnológica, ganha quem estiver com sua plataforma digital acessível 24 horas por dia. "E, melhor do que lançar o produto perfeito, é lançar logo", diz Daniel Motta.

6. Terceira Revolução Industrial

Descrita pela revista The Economist, a Terceira Revolução Industrial, que começou nos anos 2000, marca a capacidade de personalização dos produtos, graças a novas tecnologias, insumos e processos.

"Se as revoluções de 1760 e 1830 criaram o paradigma da produção massificada, a terceira revolução industrial traz outro modelo mental: o da customização massificada", explica Motta. Assim, é possível continuar tendo grande escala de produção mesmo fazendo produtos diferentes.

7. Ecossistemas produtivos

As relações de produção são complexas e cruzadas. "Hoje em dia, é possível encontrar uma joint venture entre dois concorrentes, por exemplo", explica Motta.

Neste cenário distante da tradicional cadeia linear de produção, é preciso ter capacidade para gerenciar estas redes que envolvem parceiros, fornecedores, distribuidores, consumidores, concorrentes, institutos e indivíduos.

Conceitos como o de co-criação de produtos surgem neste cenário, como nova alternativa de inovação, com clientes e fornecedores participando do processo desde o seu início.

8. Retomada oriental

Responsáveis por mais 50% do PIB mundial até 1800, potências orientais voltam a assumir papel de destaque. China e Índia despontam como protagonistas na economia mundial.

Há um impacto de natureza comercial importante, segundo Motta. "Em algum momento da cadeia há, ou haverá, um parceiro de negócios chinês ou indiano", diz.

Ele também cita a mudança na maneira de se fazer negócios. "Nas relações contratuais, as regras mudam porque são jeitos diferentes de lidar com a relação comercial", diz.

9. Capitalismo Estatal

"Em países como Brasil, Rússia, Índia, México, Tailândia, Cingapura, o Estado não é um mero regulador do mercado, é um agente econômico que investe pesado", explica Motta.

BNDES, fundos de pensão estatais, empresas estatais são exemplos brasileiros. "No Brasil não dá para pensar em empresa sem olhar para o governo", diz ele.

O lado positivo, diz, é que a visão é de longo prazo com projetos de 20, 30 anos. "Já a parte negativa e perigosa ocorre quando estatais e fundos começam a desenvolver relações corruptas ou agem para inibir a atividade privada. Aí, ninguém consegue competir com eles", diz.

Fonte: www.exame.abril.com.br

Publicado em Blog

Uma das principais características procuradas hoje no mercado é saber trabalhar em equipe. Buscar essas melhorias faz com que os colaboradores criem habilidades e comecem a fazer a diferença, como, por exemplo, o aumento da produtividade.

A interação da equipe favorece também a capacidade de agregar valor e de gerar confiança, proporcionando um ambiente saudável e positivo. Com essa motivação os colaboradores se sentem mais motivados e preparados para as oportunidades da empresa.

Trabalhar em equipe não é apenas trabalhar em conjunto é preciso de compartilhamento. Os resultados nunca são alcançados apenas por uma pessoa, é preciso compartilhar com o outro para chegar ao objetivo final.

Procurar desenvolver suas habilidades em equipe é se destacar e dar espaço para a liderança. Empresas valorizam profissionais capazes de gerir e motivar os colaboradores, buscando sempre o desenvolvimento da equipe e os melhores resultados.

Confira algumas habilidades fundamentais para se trabalhar em equipe:

Administrar Conflitos
É importante saber lidar com os conflitos do dia a dia na empresa. Neste sentido, desenvolver a habilidade de conversar para esclarecer os fatos e conciliar as necessidades é sempre a melhor opção nesse momento. Assim você gera confiança e afeição da equipe.

Comunicação
Saber valorizar a comunicação entre você e os outros colaboradores é fundamental para o trabalho em equipe. Escutar e falar na hora certa também é uma habilidade importante para que o ambiente se torne agradável e produtivo.

Proatividade
Tomar atitude é um ponto positivo. Estar sempre disposto a ajudar e a resolver os problemas ajuda no seu desenvolvimento de sua equipe.

Inovar
Procurar inovar é sempre importante para o crescimento da empresa e dos profissionais. Buscar soluções e alternativas é fazer com que todos cheguem ao melhor resultado com mais assertividade e o que é melhor, em pouco tempo.

Confiança
É fundamental desenvolver a confiança entre as pessoas que estão a sua volta. Gerar esse sentimento é ganhar um espaço maior na equipe, pois você sempre será o apoio de cada um e saberá quando e como contar com cada colaborador.

Essas habilidades citadas são formas de aprender a importância de cada gesto que você desenvolve em sua empresa. Buscar líderes engajados e que consigam colocar em prática o seu trabalho em equipe é essencial para o crescimento das organizações.
Invista na melhoria de suas relações interpessoais, aprenda a trabalhar em equipe e alcance resultados extraordinários!

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog

Você tem um currículo interessante, demonstrou ter todas as competências exigidas para a vaga, mas no fim da entrevista deixou escapar uma frase que pôs tudo a perder?

Publicado em Blog
Terça, 17 Junho 2014 09:49

6 dicas para alcançar o sucesso!

Todos desejam ser campeões na carreira, na formação acadêmica, na vida pessoal e em muitos outros aspectos da vida! Assim como no futebol, a vida é uma partida na qual se deve ter concentração, driblar os obstáculos, suar a camisa e marcar grandes gols!

Veja estas dicas de como vencer na vida de goleada:

Constante aprendizado
A vida é uma escola, sempre tem a nos ensinar. Absorva todo o conhecimento que puder, estude, se especialize, aperfeiçoe-se e escute com atenção seus líderes. É muito importante também extrair lições das adversidades e aprender com as experiências para obter o amadurecimento.

Concentração
Assim como no futebol, a concentração é essencial para ganhar qualquer partida. Não se disperse, mantenha a atenção em suas atividades, execute-as com precisão, pontualidade e qualidade!

Treinamento
Para ser um craque é fundamental treinar! Prepare-se, a cada dia, para exercer melhor suas atividades sendo disposto, disciplinado e colocando em prática seus conhecimentos a favor de seu crescimento e desenvolvimento.

Esforço
É muito importante se esforçar, procurar fazer além do que é estabelecido, exercer suas atividades com competência e eficácia, lutando com todas suas forças para melhorar a cada dia e gerar resultados extraordinários!

Energia
Os atletas bem-sucedidos não se deixam contagiar pelo desânimo, pelo contrário, estão sempre motivados e dão tudo de si para ganhar as competições. Por isso, encare os desafios de forma positiva, com empolgação e concentre toda a sua disposição e energia para ser vitorioso!

Nunca desistir
Tente vencer quantas vezes forem necessárias, não pare até atingir seus objetivos. Nem sempre você irá conseguir o que almeja na primeira tentativa, mas esteja certo de que, com determinação e perseverança, você irá conquistar seus sonhos!

Na vida, para ser um vencedor é necessário agir, pois o sucesso depende de seus pensamentos e de suas atitudes, portanto, siga em frente, ultrapasse barreiras, lute por seus sonhos e assim você será campeão!

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog

Dos limites da autonomia até qual é o "alvo" do poder: especialista desmascara as ideias erradas sobre o alto escalão corporativo

Virar executivo não é a meta de todo profissional. Mas para quem chega neste ponto da carreira, por vezes, é difícil definir com clareza os contornos da nova função.

É a dificuldade de lidar com o poder, por um lado. Ou a necessidade de aprender novas competências, por outro. Não equalizar bem questões como estas pode levar ao fracasso no novo desafio.

José Augusto Figueiredo, presidente da LHH|DBM, já viu diversos casos desse tipo e concorda que alguns se devem a uma visão equivocada do que é ser um executivo de fato. Veja quais são os 5 mitos mais comuns neste sentido:

 

Mito 1 Suas habilidades atuais sempre trarão sucesso

Até agora, provavelmente, você cresceu na carreira devido a uma gama específica de habilidades que o destacaram no meio da multidão de profissionais no mercado. No entanto, daqui para frente, não há garantias de que o que funcionou no passado trará os mesmos resultados.

Em outros termos: as habilidades que trouxeram a promoção não necessariamente o manterão no cargo.

"As pessoas viram executivas porque mostraram um diferencial", diz José Augusto Figueiredo. "Mas chega um determinado ponto da carreira que o mundo passa a requerer novas competências".

Por exemplo, para quem assume um cargo de liderança, as habilidades técnicas continuam importantes, claro. Mas o que pesa é a capacidade de extrair o melhor dos outros para alcançar resultados.

Mito 2 Você terá toda autonomia do universo

Outra utopia que alimenta os sonhos pueris dos recém-chegados a um cargo executivo é a ideia de que a partir deste momento da carreira, será possível ter liberdade para fazer o que bem entende.

A história comprova que a vida não é assim. "Não há esta liberdade nem quando você é o dono da empresa", diz Figueiredo. Evidentemente, o mesmo vale para quem é presidente, diretor e, claro, gerente.

Mais do que em qualquer outra fase da hierarquia, o topo exige uma capacidade "cavalar" de tecer boas negociações. Na prática, isso significa que, além de bons argumentos, o novo executivo precisará de uma dose de "desapego".

Afinal, negociar também implica em abdicar, ceder, abrir mão em prol do bem comum. 

Mito 3 Neste ponto, não é permitido errar

Responsabilidade traz evidência. O que, na prática, significa uma porção de holofotes vidrados em cada milimétrica ação que você faz. Junte-se isso aos efeitos hiperbólicos que um deslize pode ter no topo e terás a explicação sobre porque, em um contexto assim, poucos querem errar.

A justificativa é compreensível, porém, ilusória. Se quanto maiores os riscos, melhores os ganhos, podemos afirmar que arriscar-se é essencial neste momento da carreira.

O ponto é que em um cenário incerto, o erro sempre será uma das probabilidades possíveis. Temer encará-lo torna-se, portanto, uma atitude paradoxal. Como manter-se no posto e dar espaço ao novo, se a sua tendência pessoal é paralisar diante do risco de errar?

Além disso, as avó já se cansaram de repetir que "é errando que se aprende". Por isso, é fato que o erro (quando bem gerido) torna o profissional mais preparado para as próximas etapas. Ou seja, quem acumula uma trajetória consistente de tropeços e consequentes passos firmes pode ganhar, sim, pontos no mercado.

O presidente da LLH|DBM conta que até já pediram a ele a indicação de um executivo que tivesse levado uma empresa à falência. Motivo? Pelo menos assim, o tal presidente saberia o que não fazer sob hipótese alguma.

Mito 4 Ser executivo é sinônimo de ter o "rei na barriga"

A arrogância é outra armadilha que pode pôr tudo a perder para o novo executivo. "Ela afugenta as pessoas em volta, diminui o risco dele ser questionado e encostado contra a parede", descreve Figueiredo.

Como se vê, a arrogância constrói um muro ao redor de quem dá vazão a ela. Se, por um lado, isso traz uma torta forma de proteção, por outro, o impede de ver o que está para além de si. Sem uma visão sistêmica e global, como liderar? Como apostar nos melhores percursos? Como inspirar os outros?

Mito 5 "Ter poder" é sinônimo de "ter prazer"

Um cargo no topo pode trazer status e (um certo grau de) poder. Um dos principais erros é acreditar que esta combinação é feita apenas para desaguar em você mesmo.

Quem opta por este conceito acaba focando demasiadamente em si e nutrindo um comportamento egocêntrico. "Não percebe que quando tem poder, o papel dele é proporcionar prazer aos outros", diz Figueiredo.

Uma das bases da teoria de James Hunter, autor do best-seller "O monge e o executivo", é a ideia de que o papel de um líder é servir aos outros - a começar por quem está abaixo dele no escalão, segundo ele disse.

Ao focar em si mesmo e usar o poder para isso, o líder perde a dimensão do outro, como diz Figueiredo. E esquece-se de um fato: o reconhecimento é produto natural do ato de servir e se importar com quem está ao seu redor. A satisfação profissional vem exatamente deste ciclo.

Fonte: www.exame.abril.com.br

Publicado em Blog

Uma das principais características procuradas hoje no mercado é saber trabalhar em equipe. Buscar essas melhorias faz com que os colaboradores criem habilidades e comecem a fazer a diferença, como, por exemplo, o aumento da produtividade.

A interação da equipe favorece também a capacidade de agregar valor e de gerar confiança, proporcionando um ambiente saudável e positivo. Com essa motivação os colaboradores se sentem mais motivados e preparados para as oportunidades da empresa.

Trabalhar em equipe não é apenas trabalhar em conjunto é preciso de compartilhamento. Os resultados nunca são alcançados apenas por uma pessoa, é preciso compartilhar com o outro para chegar ao objetivo final.

Procurar desenvolver suas habilidades em equipe é se destacar e dar espaço para a liderança. Empresas valorizam profissionais capazes de gerir e motivar os colaboradores, buscando sempre o desenvolvimento da equipe e os melhores resultados.

Confira algumas habilidades fundamentais para se trabalhar em equipe:

- Administrar Conflitos: É importante saber lidar com os conflitos do dia a dia na empresa. Neste sentido, desenvolver a habilidade de conversar para esclarecer os fatos e conciliar as necessidades é sempre a melhor opção nesse momento. Assim você gera confiança e afeição da equipe.

- Comunicação: Saber valorizar a comunicação entre você e os outros colaboradores é fundamental para o trabalho em equipe. Escutar e falar na hora certa também é uma habilidade importante para que o ambiente se torne agradável e produtivo.

- Proatividade: Tomar atitude é um ponto positivo. Estar sempre disposto a ajudar e a resolver os problemas ajuda no seu desenvolvimento de sua equipe.

- Inovar: Procurar inovar é sempre importante para o crescimento da empresa e dos profissionais. Buscar soluções e alternativas é fazer com que todos cheguem ao melhor resultado com mais assertividade e o que é melhor, em pouco tempo.

- Confiança: É fundamental desenvolver a confiança entre as pessoas que estão a sua volta. Gerar esse sentimento é ganhar um espaço maior na equipe, pois você sempre será o apoio de cada um e saberá quando e como contar com cada colaborador.

Essas habilidades citadas são formas de aprender a importância de cada gesto que você desenvolve em sua empresa. Buscar líderes engajados e que consigam colocar em prática o seu trabalho em equipe é essencial para o crescimento das organizações.

Invista na melhoria de suas relações interpessoais, aprenda a trabalhar em equipe e alcance resultados extraordinários!

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog

Com o mercado de trabalho cada dia mais competitivo, procurar um novo emprego também exige preparo, e não apenas técnico como também emocional. Assim, mesmo que o candidato a uma vaga tenha as competências e qualificações necessárias para assumir determinado cargo, ele deve estar preparado para competir com diversos outros profissionais com o mesmo perfil que o seu.

O que pode fazer a grande diferença nesse caso é a forma como o profissional se comporta durante o processo seletivo e quando está frente a frente com o futuro empregador.

O nervosismo é um fator comum em quase todos os candidatos que vão concorrer a uma vaga, com certeza você também já deve ter passado por esse momento, mas com alguns cuidados simples você pode tirar essa situação de letra.

O especialista em carreiras, Max Gehringer, em seu quadro no Fantástico, dá dicas sobre como se comportar quando estiver num processo seletivo.Confira o vídeo abaixo, e veja como os aspirantes a uma recolocação no mercado, devem se comportar durante uma entrevista:

Algumas dicas sobre como se comportar durante uma entrevista:

Vista-se de forma adequada;
Tenha bastante informações sobre a empresa;
Não se alongue nas respostas;
Não fale mal das empresas onde trabalhou anteriormente;
Se prepare para responder perguntas do tipo: quais são seus pontos fortes? E fracos? Por que acha que está qualificado para esta vaga?O que está buscando?Qual o maior desafio que você venceu e como?
Desligue o celular;
Mande um e-mail de agradecimento pela oportunidade, mostre vontade de assumir a vaga.
Embora não garanta a vaga por si só, se seguidas corretamente, as dicas dadas pelo especialista e pontuadas acima, podem ajudar você a fazer a diferença num processo de recrutamento e seleção. O mais importante é não desanimar e continuar firme. 

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog
Terça, 01 Abril 2014 09:33

A Importância do Foco no Trabalho

O foco é uma das competências mais almejadas e valorizadas pelo mercado. Profissionais que conseguem manter a concentração em seu dia a dia de trabalho, conseguem obter muito mais resultados.

A concentração é fundamental para conseguirmos concluir metas e objetivos em qualquer contexto, seja para fazer uma dieta, praticar exercícios físicos, se dedicar aos estudos, manter a atenção no trabalho, entre outras inúmeras situações.
Pare para pensar em quantas vezes você acessa suas redes sociais enquanto está no trabalho, ou quantas vezes você olha seu celular enquanto está conversando com um amigo, por exemplo? Respondendo essas perguntas já é possível avaliar a importância do foco, seja na vida pessoal ou profissional.

Para Daniel Goleman, psicólogo americano, existem 3 tipos de foco: o foco interno – que permite entender e controlar sentimentos e emoções; o foco nos outros – que permite ouvir, compreender e se colocar no lugar dos outros e a atenção ao nosso redor – ter foco em tudo que acontece ao nosso redor e em como as atitudes impactam o mundo.

Segundo ele, os três tipos de foco estão ligados. "Quem não consegue prestar atenção nas próprias emoções dificilmente compreenderá os sentimentos de outra pessoa e muito menos se sensibilizará com os problemas do mundo", diz ele em entrevista para a revista Época.
Uma pesquisa realizada na Nova Zelândia com 1037 crianças avaliou a tolerância, frustração, impaciência e poder de concentração de cada uma delas. 20 anos depois, os estudiosos procuraram essas crianças para uma avaliação. O estudo concluiu que quanto melhor a atenção e o autocontrole durante a infância, mais bem-sucedido era o adulto. O autocontrole foi mais importante para o sucesso do que o Q.I ou renda financeira.

Para aprender a conquistar esta habilidade tão importante, preparamos algumas dicas:

Concentre-se em suas atividades diárias
Concentrar em suas atividades rotineiras é essencial para não perder o foco. Muitas vezes com a rotinha diária e diferentes demandas, costumamos aplicar uma espécie de "piloto automático" que faz com que realizemos nossas tarefas sem a devida atenção, o que pode acabar prejudicando nosso rendimento. Por isso, se concentrar no que está fazendo é fundamental.

Evite distrações
Para manter o foco, procure evitar distrações como conversas fora de hora, redes sociais em horário de expediente e ligações pessoais.

Tire um tempo para se distrair
Nem sempre é fácil manter o foco o tempo todo, isso pode causar desgaste físico e psicológico. Por isso, ao concluir uma demanda, procure tirar uns minutinhos para se distrair, tomar um café e relaxar, mas é bom ficar atento para não extrapolar demais.

Nestes casos, o bom senso é fundamental.

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog

Como anda o seu tempo? Tem conseguido fazer tudo o que se propõem diariamente? Consegue conciliar vida pessoal e profissional sem que nenhuma delas fique prejudicada?
Com a correria do dia a dia, diversas demandas e atividades a cumprir, tem sido cada vez mais difícil conseguir gerenciar o tempo da melhor forma. Se você enfrenta essa dificuldade, confira algumas dicas valiosas que podem ajudar a gerenciar seu tempo de forma eficaz:

Liste suas atividades
Antes de tudo, comece listando todas as suas atividades diárias, assim ficará mais fácil obter um panorama geral de todas as demandas e saber o que cumprir primeiro. Estipule também prazos para que cada tarefa seja terminada.
Hoje temos alguns aplicativos de smartphones e tablets, que nos auxiliam nessa organização, sendo cronometrando tempo de atividades, aviso de compromissos e até alarme como lembrete para dormir.

Tríade do Tempo
A tríade do tempo é uma eficiente ferramenta do Coaching, ideal para que você aprenda a gerenciar seu tempo da melhor forma. Para isso separe todas as tarefas por ordem de prioridade: importantes – todas as atividades relevantes, necessárias e que trazem resultados a curto, médio ou longo prazo; urgentes – atividades em cima da hora ou fora do prazo estabelecido; circunstanciais – atividades desnecessárias ou circunstanciais.

Tenha disciplina e comprometimento
Não adianta utilizar agendas, aplicativos ou qualquer tipo de organizador se você não tiver disciplina e comprometimento com o cumprimento de seus compromissos e horários.
Seguir o que for planejado é extremamente importante para o alcance do êxito no gerenciamento do seu tempo.

Tenha foco
Outra importante dica para saber gerenciar o tempo é ter foco no que é realmente importante, para isso, evite perder muito tempo com distrações fora de hora como telefonemas pessoais, redes sociais, conversas entre outras coisas.

Fonte: www.ibccoaching.com.br

Publicado em Blog
Pagina 1 de 2

Siga-me no Twitter