Toggle

Gestão Familiar

 

Seja por característica ou por cultura a maioria das empresas de nosso país nasceram de uma idéia ou do sonho de um casal ou do pai, o grande líder da família; vai crescendo e os filhos são chamados para tornar o sonho individual do pai em sonho e realização coletiva – da família. Felizmente, boa parte destas empresas cresce e fica sólida mesmo sem um planejamento formal, coisa também cultural no Brasil. Nestes casos a maior dificuldade aparece naquele momento em que existe a necessidade de compartilhar decisões, delegar, criar setores e dividir responsabilidades, o PAI não abre mão de ser o MANDÃO, o faz TUDO, não dá espaço para os filhos, peca na disciplina etc. Tenho visto tantas coisas impossíveis que me fazem repensar alguns conceitos. Será que os filhos estão preparados para novos desafios? Será que os pais estão prontos para soltar a empresa para seus sucessores? Em ambos os casos a maioria deles dizem que sim, mas o desafio está no processo de preparação profissional tanto para aquele que vai dar espaço quanto para quem vai ganhar espaço, ambos devem se preparar profissionalmente para o dia 'D'.

Sei que isso não é nenhuma novidade, mas é justamente aí que está o problema, pois não basta acreditar que o filho que se formou ontem na faculdade já pode assumir a empresa e por outro lado não basta o filho acreditar-se capaz para administrar a empresa e mandar o pai para casa, descansar! Até para isso é preciso conhecimento, planejamento e acompanhamento, ou seja, para ambos poderem tirar o melhor resultado das novas atribuições e atividades que exercerão a partir deste momento, é preciso preparação.

A seguir algumas dicas que poderão auxiliar nesta preparação para a chamada sucessão familiar ou gestão familiar profissional:

Planeje sua carreira (ou aposentadoria) juntamente com os futuros administradores;

Trace o perfil da função;

Trace o perfil de cada um - lembre-se, é preciso que haja afinidade com a função;

Faça um verdadeiro vestibular - eles deverão estudar tudo sobre a empresa e o mercado;

Peça para que eles trabalhem em todos os setores para conhecerem os processos e procedimentos da empresa – assim poderão identificar pontos fortes e outros que podem ser melhorados;

Dê inicialmente alguns desafios isolados e, de propósito, não auxilie;

Peça para que façam um planejamento próprio, como se ele já fosse o CARA;

Faça com que seu sucessor organize alguns trabalhos comunitários;

Agora o mais importante: o futuro do candidato dependerá de como ele está preparado para as dificuldades financeiras, por isso, estipule uma remuneração por projetos e resultados que deverão ser obtidos - nada de ser bonzinho nesta hora;

Caso nada disso seja possível, contrate um gestor profissional.

Fonte: ogerente.com.br  / foto: reprodução

Siga-me no Twitter