Toggle
Terça, 24 Setembro 2013 16:32

Como se Automotivar em Qualquer Ambiente

"Antes de mais nada, fica estabelecido que ninguém vai tirar meu bom humor". A frase do escritor Fernando Sabino traduz o funcionamento de uma pessoa automotivada. Enquanto os colegas reclamam do salário, que é muito baixo, do chefe, que é injusto, do rapaz que senta ao lado, que quer lhe passar a perna, do concorrente, que inovou de novo, ou do cliente, que exige demais, o automotivado, em geral, segue animado com suas atividades.

Segundo a conselheira de carreira Karin Parodi, presidente da Career Center, esta característica está ligada ao perfil da pessoa. "Quem é assim naturalmente vê as coisas por um ângulo mais positivo", diz ela. "Tem vontade de se superar, de correr riscos calculados, de celebrar as vitórias, aprender com os erros e continuar tentando", afirma.

Estar motivado quando trabalha no que gosta ou está rodeado por profissionais inspiradores é fácil. Difícil é manter o bom humor e a disposição mesmo a despeito de circunstâncias adversas.

Difícil, mas possível. Porque se vontade e iniciativa são características básicas da automotivação, você pode decidir desenvolver esses aspectos porque quer. O primeiro a ganhar com isso é você mesmo. Afinal, é o seu esforço, o seu tempo e a sua vida diária que estão em jogo.

Em vez de ficar esperando que a empresa implemente novas técnicas de motivação para a equipe, aqui vão algumas dicas para você tomar as rédeas da sua relação com o trabalho hoje mesmo.

1. Descubra como funciona a sua engrenagem

Para ter noções de autoconhecimento, você não precisa necessariamente sair em busca de um terapeuta. Simplesmente vire suas antenas para você. Na prática, isso significa tirar um pouco do foco dos outros, do mercado, da lista de tarefas... para entender como você se sente diante de cada um desses itens. Se souber que tipo de situação gera que tipo de sentimento e reação em você, pode escolher melhor as brigas que quer comprar – e aquelas que é melhor evitar.

Tente ver as situações como se fosse o sujeito fosse um amigo – e não você mesmo. Aos poucos, vai começar a reconhecer também as tarefas que são fáceis para você, as que lhe são custosas e o que você tem prazer em fazer. "Só é possível ser uma automotivado se a pessoa tem autoconhecimento. Tem muita gente infeliz no trabalho simplesmente porque não sabe o que gosta, no que é bom e fica insistindo em atividades que não têm nada a ver com seu perfil", diz Karin Parodi.

2. Seja disciplinado

Quanto mais disciplina, mais liberdade sentirá o profissional, segundo Gilberto Cavicchioli, professor dos cursos de pós-graduação e MBA em Gestão de Pessoas, na ESPM e na Fundação Getúlio Vargas. E a sensação de liberdade, por sua vez, é um dos combustíveis para a motivação no trabalho.

Hoje, muitas empresas oferecem mais autonomia aos funcionários, como horários flexíveis e a possibilidade de trabalhar de casa. Proporcionalmente, aumenta a necessidade de o profissional se comprometer com suas tarefas por iniciativa própria. "Pessoas disciplinadas costumam ter mais controle de seu tempo e suas atividades. Assumem mais responsabilidades e são donas de seu trabalho, consequentemente, se motivam mais por conta própria".

3. Tenha um planejamento

Uma pessoa automotivada não espera apenas as metas lhe serem impostas, ela mesma as cria algumas para si, segundo Karin Parodi. "Elas traçam planos", afirma. Assim, mesmo que esteja em um momento profissional ruim, consegue ver o todo, desenhar um futuro melhor e elaborar um caminho para alcançá-lo.

A sugestão é agir como se fosse seu chefe, criando metas e planejamentos de curto, médio e longo prazo para si mesmo.

O professor Gilberto Cavicchioli diz que todas as pessoas automotivadas que conhece fazem listas de metas a serem alcançadas, pessoal e profissionalmente. "Escreva tudo o quer conquistar no semestre ou no ano e deixe em algum lugar visível no seu ambiente de trabalho". A ideia é que o lembrete sirva de inspiração e de guia, para que suas atitudes cotidianas estejam alinhadas com aquelas ambições.

4. Tire as ideias do papel

O planejamento é um meio, e não um fim. No momento seguinte à sua elaboração, execute-o. Realizar alimenta a automotivação. "Quando acerta, o automotivado sabe comemorar. Se erra, aprende alguma coisa", diz Karin Parodi. A sugestão é arriscar-se independentemente do resultado, em vez de paralisar no "mas e se...".

5. Espere pelo erro

Se quiser manter sua automotivação, persistência e resiliência são duas palavras com as quais deve se acostumar. Pessoas e acontecimentos na contramão de seus planos fazem parte da rotina. O mérito é manter-se motivado apesar deles.

Um caminho é evitar expectativas. Não espere o reconhecimento do chefe nem pelo bom-senso de um colega. Não espere nem estar certo em suas observações. "Ou muda-se os fatos (o que não está no nosso controle) ou mudamos a forma de encará-los. Isso, sim, podemos controlar", diz Gilberto Cavicchioli.

6. Sua vida não é só trabalho

Uma maneira de aumentar o rendimento de sua motivação é ampliar sua carteira de investimentos. Se o trabalho é sua única fonte de felicidade, são grandes as chances de algo não sair como o planejado e você sentir que perdeu tempo e energia. "As pessoas mais motivadas fazem atividades de outras áreas além do trabalho, sejam técnicas, como uma pós-graduação, sejam físicas, como um esporte, sejam ligadas à espiritualidade e à mente, como meditação", diz Cavicchioli.

É a velha discussão sobre equilíbrio entre as áreas profissional e pessoal. Imagine que sua vida é uma pizza e que cada pedaço é um departamento. A carreira é uma parte dela. As outras podem ser família, lazer, esporte, viagem... Se investir em várias fontes de satisfação, mesmo que as coisas no trabalho não vão bem por um período, você poderá tirar energia e vontade de outro lugar para seguir firme, forte e motivado.

Fonte: www.epocanegocios.globo.com

Publicado em Blog
Terça, 17 Setembro 2013 14:16

Gestão do Desempenho

Como anda o seu desempenho? Você é daqueles que fazem acontecer? Transformam seus planos em realizações?

Caso você seja uma pessoa, que como a grande maioria, tem dificuldades em aprimorar o seu desempenho, tenha calma: você não está sozinho neste mundo.

Com empresas exigindo metas cada vez mais audaciosas e desafiadoras, alta produtividade e quadros mais enxutos não podemos deixar de ficar um pouco mais atentos quanto a gestão de nosso desempenho, pois as soluções de ontem já não garantem os resultados de amanhã, afinal tudo está sempre em evolução. Aprimore sua performance ficando bem atento aos seguintes pontos.

Cuidado com a equação muito esforço, mas poucos resultados. A persistência, sem dúvida, é uma grande qualidade, mas tem como prima-irmã a teimosia. De nada adianta ser uma pessoa muito esforçada, mas que não atinge os resultados. Parece ser cruel, mas fique atento e procure refletir e perceber se você não está dando murro em ponta de faca. Seja prático e pondere: se eu não estou atingindo resultados o que pode estar errado? Repense sua estratégia, as condições de trabalho, avalie se os investimentos feitos são suficientes, se tem conhecimento ou competência técnica para realizar ou ainda se quero fazer.

Desenvolva sua inteligência comunicativa. Nada mais importante do que aprimorar sua capacidade de se fazer entender com os recursos que dispõe. É incrível, mas existe uma relação direta de seu desempenho frente a sua capacidade de comunicação, de compreender os outros e de se fazer entender. Comunicação é uma via de mão dupla e a relação ganha-ganha deve estar evidente em suas ações. Comunique-se com o mundo de uma forma pró-ativa, sem julgamentos, tenha uma expressão corporal positiva, cuidado como soa as palavras, seja gentil. A diferença está nos detalhes de como se conduz os relacionamentos.

Tenha metas possíveis e algumas que a princípio pareçam impossíveis. Metas devem ser passíveis de atingir, mesmo porque correr o tempo todo atrás do pote de ouro e nunca alcançar desmotiva qualquer um. Mas sugiro que você tenha guardado nas mangas algumas metas de longo prazo, que hoje, podem parecer impossíveis, mas que no futuro só se tornaram realidade porque foram trabalhadas lá no passado. Alguma vez você já teve a impressão que depois que tudo está pronto parece ter sido fácil? O importante é desenvolver a sua capacidade de visão e realização de curto, médio e longo prazo.

Ninguém é insubstituível, mas posso ser imprescindível. Explico: prepare sucessores, desenvolva os talentos de sua equipe, esteja pronto para novas oportunidades em sua carreira, não fique estagnado criando uma relação de amor com o seu cargo. Deixe claro que ninguém é insubstituível, mas que devemos ser imprescindíveis para o sucesso de nossa organização, que agregamos valor ao negócio, que estamos comprometidos com os resultados. Para ser valorizado é preciso demonstrar o seu valor, ocupar o seu espaço, Não fique somente esperando que os outros lhe mostrem o caminho é preciso coragem e personalidade para criar a própria estrada.

Sinta-se dono do negócio. O seu desempenho será muito maior se você se sentir e agir como dono do negócio, aja como se tudo isso fosse seu, porque é daí que sai o seu sustento e de sua família. Portanto nada de falsas juras de amor ao emprego atual, mas sim uma relação profissional, ética e de longo prazo com seu atual empregador. Neste aspecto é importante compactuar com as políticas e cultura da empresa, perceber se você se sente à vontade no seu trabalho. Caso negativo, procure uma nova função ou até um novo desafio profissional. Não existe o emprego ideal, sempre haverá a pressão, resistência ao novo, momentos de crise nos relacionamentos, choque de valores e crenças, tudo isto é normal, todos querem o melhor, mas existem maneiras e maneiras de como buscar o melhor. O dono busca a longevidade do negócio, procura crescer no mercado, sabe que tem uma responsabilidade maior para com a equipe, clientes, fornecedores e comunidade.

Mensure resultados. Desempenho tem a ver com resultados e não só financeiros.O critério de comparação deve ser consigo mesmo. Hoje estou melhor do que cinco anos atrás? Os critérios cada um define de acordo com suas crenças e valores, podendo ser financeiro, familiar, profissional, espiritual, relacionamento conjugal ou pessoal, enfim aquilo que realmente lhe importa. Nada de baixo astral se o desempenho e resultados não forem os desejados, guarde energia para recomeçar. Recomeçar não é nenhuma vergonha, agora mais experiente e preparado podemos analisar e repensar nossas atitudes percebendo o que podemos e devemos mudar ou simplesmente aceitar aquilo que não podemos mudar. Tolerância e paciência serão qualidades fundamentais neste novo processo.

Cuidar com carinho da gestão de seu desempenho é uma importante ferramenta para não perder o foco e melhor administrar seu tempo e energia em busca de resultados positivos. Desempenho deve estar aliado não ao que uma pessoa fala, mas sim ao que ela faz.

Paulo Araújo é palestrante e escritor. Autor de Motivação - Hoje e Sempre (editora Qualitymark), entre outros livros.
Fonte: www.portalcmc.com.br

Publicado em Blog
Pagina 2 de 2

Siga-me no Twitter